Resenha: Proteja-Me – Juliette Fay

Título Original: Shelter me
Subtítulo:Porque nos tornamos tão distantes quando mais precisamos de carinho?
Livro no Skoob • 448 páginas
Classificação: 5/♥ (favorito) Editora: Novo Conceito
Sinopse: Quatro meses após a morte do marido, Janie LaMarche continua tomada pela dor e pela raiva. Seu luto é interrompido, no entanto, pela chegada inesperada de um construtor com um contrato em mãos para a obra de uma varanda em sua casa. Surpresa, Janie descobre que a varanda era para ser um presente de seu marido — tornando-se, agora, seu último agrado para ela. Conforme Janie permite, relutantemente, que a construção comece, ela se apega aos assuntos paralelos à sua tristeza: cuidando de seus dois filhos de forma violentamente protetora, ignorando amigos e família e se afundando em um sentimento de ira do qual não consegue se livrar. Mesmo assim, o isolamento autoimposto de Janie é quebrado por um grupo de intervenções inconvenientes: sua tia faladeira e possessiva, sua vizinha mandona, seu primo fofinho e até Tug, o empreiteiro. Quando a varanda vai tomando forma, Janie descobre que o território desconhecido do futuro fica melhor com a ajuda dos outros. Até daqueles com os quais menos esperamos contar.

Janie LaMarche é uma mulher de trinta e oito anos, que ficou viúva há mais ou menos quatro meses. Ela e seu marido Robby ficaram casados por sete anos e tiveram um casal de filhos, Dylan de quatro anos e Carly de alguns meses. A morte repentina do marido em um acidente deixa Janie totalmente abalada, fazendo com que ela se feche em si mesma e sobreviva a cada novo dia pelos filhos. Com o apoio da família, principalmente da tia Jude (irmã de sua mãe) e de Cormac seu único primo, assim como de Shelly a vizinha autoritária, Janie vai administrado as tarefas do dia a dia, como levar o Dylan a escola , pagar contas e trazer comida. Porém quando uma inesperada surpresa de Robby, chega, Janie ver sua vida mudar novamente. Antes de morrer Robby contratou o serviço do empreiteiro Tug Malinowski, para construir uma varanda para casa deles. Assim com a presença de Tug e as freqüentes visitas do padre Jake, Janie vai lentamente se refazendo de seu luto. A situação se torna um pouco complicada quando Jane se torna muito próxima de padre Jake, por isso quando a relação entre eles e bruscamente interrompida, ela acaba regredido no luto e afastado todos no processo. Mas quando percebe que essa situação estar afetado Dylan, Janie acaba revendo seus erros e acenando a bandeira da paz, para aqueles que sempre estiveram ao seu lado. E nesse momento que Tug e ela se aproximam, no primeiro momento eles são apenas amigos e é a partir dessa relação que conhecemos as histórias entre Tug e sua ex- esposa e Janie e Robby, nenhum dos dois estar atrás de um relacionamento já que de maneiras diferentes os dois estão de luto, mas ninguém manda no coração e o inevitável acaba acontecendo, mas será que Janie estar pronta para recomeçar?

“Obrigada ,Robby”, pensou. “Obrigada por meu presente de aniversário ou Dia das Mães , ou o que quer que você pretendesse que isso fosse. Obrigada por ter começado algo bonito antes de partir. Obrigada por todas as vezes que você pensou em mim, considerou o que eu iria querer,colocou as minhas necessidades antes das suas próprias. Tantas vezes. Um homem tão bom. Obrigada.” 

Proteja-me estava há quase um ano na minha estante, quando finalmente resolvi lê-lo. A primeira vista a capa não me agradou, mas após lê-lo e me surpreender com sua trama eu me perguntei por que demorei tanto tempo para dar uma chance a ele. O livro me conquistou principalmente por ter personagens humanos, uma escrita leve e envolvente e pela importância que a autora deu aos familiares e “estranhos” no processo de luto da protagonista. Por exemplo Shelly e Janie são vizinhas há anos , porém elas nunca foram realmente próximas, mas quando Robby falece, Shelly prontamente oferece um ombro amigo a Janie, lhe auxiliado em vários momentos. Tia Jude e Cormac são dois personagens que também tem sua devida importância na trama e na vida da protagonista. Mas vocês podem falar, eles são parentes de Janie, mas mesmo assim possuem suas próprias vidas que acabam deixado de lado em algumas ocasiões para ajudá-la, sem falar que relação entre eles e linda, tia Jude é uma verdadeira mãe para Janie e Cormac um super irmão, na ausência de Mike irmão gêmeo de Janie que tem a síndrome de Asperger. Janie e sarcástica e às vezes um pouco rude o que no primeiro momento não me agradou, mas com passar das páginas, eu fui conhecendo ela melhor e no final ela ganhou minha simpatia. Tug e um personagem que vai ganhado espaço aos poucos, assim como o coração da protagonista. Ele é um cara bacana que por ter passado por um divórcio depois de vinte um anos de casado, acaba compreendendo Janie e juntos eles vivem momentos agradáveis, até o momento que surge o questionamento, estará Janie pronta para recomeçar ao lado de Tug? O livro é narrado em terceira pessoa, mas a autora intercala trechos narrados por Janie, através de seu diário. Ainda temos a oportunidade de ler uma entrevista da autora, no final do livro, onde ela fala um pouco sobre a criação de Proteja-me.
- Um homem atencioso, generoso. – Fran disse com um soluço delicado.
-Sim – disse Janie. - Ele era. – Ela contou a Fran sobre Shelly e a tia Jude e Heidi, e até mesmo mencionou brevemente Tug e o padre Jack. – Sabe qual a coisa mais estranha desse ano?   Essas pessoas todas que eu comecei não gostando nem um pouco... Acho que estava brava demais para gostar de alguém... E agora elas significam tanto para mim. Foram as pessoas que eu menos esperava que poderiam me ajudar que foram as mais importantes.

Proteja-me é um livro sobre: família, amor, perdão, começo, recomeço e sobre uma verdadeira lição: a mão amiga às vezes chega de onde menos esperamos. Recomendo!!

14 comentários :

  1. Nunca tinha escutado falar desse livro, mais gostei da sinopse e da resenha, parece ser um bom livro.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oie Marla =)

    Essa é a primeira resenha que leio desse livro, e pela sinopse já percebi que a história é emocionante com um leve toque de drama. Não é um livro que leria no momento já que estou dando preferencia para leituras mais leves, mas se tiver oportunidade vou ler com certeza.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  3. Oi Marla!
    Eu também gosto de livros sobre família... Gostei da sua resenha, fiquei com vontade de ler esse livro!

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Oi Marla!
    Fiquei feliz em saber que vc gostou desse livro. Eu li já tem um tempinho e foi um martírio. Achei a história chata, a protagonista um porre e larguei ele diversas vezes. Acho que demorei quase 1 mês lendo. rs
    É como eu sempre digo: um livro que foi ruim para mim pode ser bom para outra pessoa. Parabéns pela resenha!
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  5. Oi Marla! Eu tenho aqui na estante desde o lançamento e não parei ainda para dar a devida atenção, mas pela sua resenha, parece ser um livro lindo, com uma história sensível. Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  6. Oi querida.

    A capa desse livro me é familiar, não sei se já li alguma resenha dele ou se o vi na livraria... Mas nunca soube do que se tratava. Parece ser uma história bem emocionante, e me interessou por ser algo real. Não é uma história de amor épica, sabe? É algo que pode acontecer na vida de qualquer um, personagens que já tem uma certa bagagem emocional (imensa) e muitas histórias pra contar.

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oie,
    li este livro faz algum tempo, mas confesso que não curto muito livros dramaticos, então não curti a leitura

    bjos

    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oiee ^^
    Estou com esse livro aqui há algumas semanas, e não estava com vontade de lê-lo até ver a sua resenha. Não sabia do que ele se tratava, na verdade, nem a sinopse eu tinha lido, mas a sua resenha me deixou realmente muito curiosa. Vou tentar encaixá-lo nas metas de leitura desse ano ^^
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. li esse livro e me emocionei bastante, é lindo ver o quanto a familia cuida uns dos outros sempre
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu tenho a maior vontade de ler este livro, mas sempre acabo enrolando e deixando ele de lado. A sua resenha me lembrou o porque de eu querer lê-lo.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie, tudo bem?
    Um livro ter personagens humanos me agrada bastante, não curto aqueles que parecem ser perfeitos, sem defeito algum.
    Nossa, deve ser bem legal essa entrevista da autora que tem no fim do livro!
    Beijos... Samantha Culceag.
    * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  12. Oi Marla
    Confesso que só o fato de ter visto que o livro se tornou seu favorito, já chamou minha atenção. Também trnho ele há tempos em minha estante e a capa nunca despertou minha atenção.
    Acho que chegou a hora de olhar para ele com outros olhos e dar uma chance.
    Gosto muito quando o autor consegue criar personagens humanos e com quem podemos nos identificar.

    Beijos
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Nossa Marla, também ainda não li meu exemplar, mas depois dessa resenha vou rever isso, já que o enredo parece ter te emocionado bastante.
    Beijos... Elis Culceag. * Arquivo Passional *

    ResponderExcluir
  14. Oi Marla!

    Proteja-me parece ser um livro deslumbrante, quero lê-lo desde que a NC o lançou. A história parece ser muito emocionante e eu adoro aquelas que envolvem famílias!

    Beijos,
    Gabe
    sixdoe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e pelo comentário:)