Resenha: Ligeiramente Casados – Mary Balogh

Título Original: Slightly Married
Livro no Skoob • 288 páginas • Os Bedwyns # 01
Classificação: 4.8 Editora: Arqueiro
Sinopse: À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse – “Custe o que custar!”.
Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele – o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados...

Ligeiramente Casados e o primeiro volume da série Os Bedwyns, da autora Mary Balogh, lançado pela editora Arqueiro. Neste primeiro volume, vamos conhecer Aidan e seus irmãos , além de acompanhar a sua história com Eve.

A trama tem inicio, quando o capitão Percival Morris em seu leito de morte pede que o coronel lorde Aidan Bedwyn, prometa cuidar de sua irmã Eve, custe o que custar. Aidan que estar no exército desde os dezoito anos, tem um jeito severo, pois nunca sorrir e um grande censo de honra. Como prometido ele procura a srta Eve Morris, no Solar Ringwood em Oxfordshire, para lhe dar a notícia do falecimento de seu irmão e também para se colocar ao dispor dela para ajudá-la no que poder.

Eve fica bastante chocada com a notícia da morte do irmão, mas o que mais lhe preocupa e a sua herança, pois além de cuidar de sua tia Mari e dos irmãos Davy e Becky (que ela acolheu), ela também emprega pessoas, que ninguém daria uma oportunidade. O problema e que seu pai deixou estipulado, que Eve só poderia ficar com a herança caso se casasse no prazo de um ano ou os seus bens iriam para seu primo Cecil Morris.

Faltando apenas quatro dias para terminar o prazo, Eve não enxerga uma saída , até Aidan, lhe propor um casamento de conveniência, que lhe asseguraria a sua herança e eles ainda poderiam seguir com suas vidas separados. Mesmo surpresa com o pedido, Eve aceita. Dias após a cerimônia Aidan parte do Solar, com a intenção de não voltar a ver a esposa, porém ele não contava, que seu irmão mais velho, Wulf, o duque de Bewcastle, descobrisse sobre o seu casamento e exigisse, que Eve, fosse a apresentada á rainha e a sociedade londrina.

Fizera tudo como se estivesse em um sonho. Mas a terra se movera durante aqueles poucos minutos. Algo grandioso, irrevogável e irresistível acontecera.

Obrigados a passarem um tempo juntos, Aidan e Eve, vão se conhecendo e se afeiçoando um ao outro, apesar de suas diferenças, porém para que eles possam ter uma vida juntos, eles precisaram deixar suas máscaras de lado e dar uma oportunidade ao desconhecido.

Após passar bons momentos na companhia dos personagens de Julia Quinn e Lisa Kleypas, decidir me aventurar nas paginas de Ligeiramente Casados e conhecer a escrita de Mary Balogh. A experiência foi bastante positiva, já que o livro possui uma trama interessante, apesar de não ter grandes pitadas de humor e um casal de protagonistas diferente de todos que eu já conheci e que ganhou minha torcida .

Aidan e Eve pertencem a mundos diferentes, já que ele é filho e irmão de um duque e ela é filha de um minerador de carvão, que ficou rico, mas ambos são teimosos e também são movidos pelo dever e pela honra.

É onde  meu coração  ficará quando eu partir.

Gostei dos caminhos traçados pela autora e também de acompanhar o relacionamento do casal ganhado vida. A tia Mari, as crianças Davy e Becky, sem esquecer de Wulf, possuem uma participação importante no desenrolar do relacionamento do casal.

Falando nos Bedwyns, eles são arrogantes e a primeira vista são frios, porém  extramentes leais á família. Estou animada para acompanhar as histórias dos irmãos e estou particulamente curiosa, pela história de Wulf, o arrogante duque de Bewcastle.

Finalizado gostei de mais esse histórico e de sua trama  surpreendente  e interessante, então recomendo que leiam e façam uma ótima leitura.

{Livro cedido pela editora para resenha}

2 comentários :

  1. Segunda resenha que leio desse e livro e o engraçado que embora não se encaixe no meu gênero literário favorito, eu fiquei louca para ler, parece muito bom, adorei sua resenha!




    Tem novidade lá no Estandy Books - A Estante da Andy

    ResponderExcluir
  2. Eu estou no comecinho do livro, mas confesso que ainda não empolguei, talvez porque Mary Balogh ainda me é estranha! Mas vou continuar com a leitura, quem sabe se não acabo concordando com vc no final das contas rsrsr

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e pelo comentário:)