Trecho: A rainha normanda, de Patricia Bracewell

Confiram um trecho de A Rainha normanda, de Patricia Bracewell, lançamento da @editoraarqueiro.
A Rainha normanda
Patricia Bracewell

Preço: R$ 39,90
Ficção • 400 páginas
ISBN e EAN: 978-85-8041-377-9
16 x 23 cm • 8.000 exemplares
EBOOK:
eISBN: 978-85-8041-378-6
Preço: R$ 24,99
Lançamento 9/2

• A história de A rainha normanda é baseada em acontecimentos reais registrados na Crônica Anglo-saxã.
“Patricia Bracewell enriquece o gênero da ficção histórica com um livro altamente interessante.” – Publisher’s Weekly
“A rainha normanda é uma trama repleta de rivalidade política, escândalos da corte e disputas entre membros da nobreza, do clero e da realeza. Fãs de sagas históricas e de enredos românticos vão adorar este livro.” – Library Journal

Sinopse:
Em 1002, Emma da Normandia, uma nobre de apenas 15 anos, atravessa o Mar Estreito para se casar. O homem destinado a ser seu marido é o poderoso rei da Inglaterra, Æthelred II, muito mais velho que ela e já pai de vários filhos. A primeira vez que ela o vê é à porta da catedral, no dia da cerimônia. Assim, de uma hora para outra, Emma se torna parte de uma corte traiçoeira, presa a um marido temperamental e bruto, que não confia nela. Além disso, está cercada de enteados que se ressentem de sua presença e é obrigada a lidar com uma rival muito envolvente que cobiça tanto seu marido quanto sua coroa. Determinada a vencer seus adversários, Emma forja alianças com pessoas influentes na corte e conquista a afeição do povo inglês. Mas o despertar de seu amor por um homem que não é seu marido e a iminente ameaça de uma invasão viking colocam em perigo sua posição como rainha e sua própria vida.
A rainha normanda conduz o leitor por um período histórico fascinante e esquecido, no qual fantasmas vigiam os salões do poder, a mão de Deus está presente em cada ação e a morte é uma ameaça sempre à espreita.

Trecho:
Véspera da Festa de Santa Hilda, novembro de 1001
Proximidades de Saltford, Oxfordshire
Ela fez o circuito da clareira entre os carvalhos, três vezes ao redor e três vezes de volta, sussurrando feitiços de proteção. Houvera um presságio naquela noite: uma cortina de luz vermelha brilhara e dançara no céu da meia-noite como seda escarlate lançada contra as estrelas. Certa vez, no ano anterior ao de seu nascimento, uma luz como aquela tinha assinalado a morte de um membro da realeza. Agora certamente assinalava outra, e, embora sua magia não pudesse banir a morte, ela entrelaçou feitiços enquanto andava em círculos para afastar desgraças que pudessem cair sobre o reino. Quando terminou sua tarefa, alimentou o fogo que ardia no centro do antigo anel de pedras que se erguia no meio da clareira e, sentando-se ao lado, esperou aquela que viria em busca de profecia. Antes que o sol se deslocasse pela grossura de um dedo no céu, a figura de uma mulher, oculta por manto e véu, surgiu na parte mais alta do terreno, a mão pousada na pedra-sentinela. Lentamente, ela desceu pela trilha através das árvores, passou pela dança dos gigantes e também veio sentar-se junto ao fogo, com prata na mão.
– Queria saber o destino de minha senhora – disse.
 A prata mudou de mãos e, sem querer, a vidente vislumbrou um coração, partido e estéril, que amava com um amor sombrio e pervertido. Mas a prata fora paga e, a um aceno seu, uma mecha de cabelo foi lançada às chamas. Ela procurou visões no fogo, e elas vieram em turba e atropelo até seus olhos doerem e seu coração ficar marcado.
- Sua senhora será unida a um senhor poderoso – decretou ela, afinal –, e os filhos dela serão reis.
No entanto, por causa das trevas naquele coração sobre o fogo, nada disse a respeito da outra, da dama que viria de longe, e dos dois fios de vida tão amarrados e emaranhados um no outro que seria impossível separá-los por uma vida inteira, ou para sempre. Não falou da terra verdejante que seria queimada e reduzida a cinzas nos dias vindouros, nem dos inocentes que morreriam, tudo pelo preço de um trono. Haveria presságios no céu outra vez naquela noite, ela sabia, e, lá no alto, as estrelas chorariam sangue

Sobre a autora:
Patricia Bracewell cresceu na Califórnia, onde lecionou Literatura e Redação antes de embarcar na carreira de escritora. É mestre em literatura inglesa e sua pesquisa histórica a levou a lugares como Grã-Bretanha, França e Dinamarca. Tem dois filhos adultos e mora com o marido em Oakland, na Califórnia.

1 comentários :

  1. Adorei ler o livro. Apesar de ter ficado enlouquecida quando soube que é só o primeiro de uma série.

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e pelo comentário:)