Resenha: Théo e a Maldição das Cores - Anaté Merger

Título Original: Théo e a Maldição das Cores
Skoob • 258 páginas
Classificação: 4/5 • Editora: Amazon
Sinopse: Théo tem sete anos e é o príncipe herdeiro de Dracoon, um reino de uma terra muito, muito, muito distante. Filho único do rei mais rico e poderoso dos Cinco Reinos, ele tem tudo para se tornar um monarca sábio, hábil, leal e justo. O destino do príncipe estaria todo traçado se não fosse por um pequeno, mas importante detalhe: Théo nasceu diferente. E para provar que pode subir ao trono, ele deve escolher o caminho certo entre atalhos e estradas empoeiradas repletas de ogros e outros perigos que podem levá-lo para o Bem ou o Mal, para a tolerância ou o desrespeito, para a fé ou a falta de esperança, para o ódio ou o amor. Tudo isso porque antes de se tornar rei, Théo deve aprender a ser um homem e para isso ele vai contar apenas com um cavalo, um gato falante e um monstro azul. Venha viver com Théo a magia dos Cinco Reinos e descobrir como termina essa aventura! 

A trama tem inicio no reino de Dracoon, que juntamente com os reinos de Azurium, de Lilac, Viridis e Lux, formam os cinco reinos. Em Dracoon conheceremos o príncipe Théo, filho único do rei Eudes e da rainha Eleanor. Théo acaba de completar sete anos e por conta de uma promessa ele precisa partir para Azurium, para ser pajem do príncipe herdeiro Agostim e no futuro se tornar um cavalheiro.

Agostim é um rapaz amargo e mimado que não suporta Théo e pretende transformar a vida do jovem príncipe em um inferno. Théo passa por maus momentos, até ser acolhido pelo monge Nestor, mas é somente quando ele conhece Margot, que sua vida se transforma.
  
"Os homens e mulheres nascidos em Dracoon devem portar as cores do reino na pele, nos olhos, nos cabelos e nas roupas. Qualquer outra cor não será permitida. Quem desrespeitar essa lei será banido."

Os anos passam e Théo estar prestes há completar dez anos, por conta de mais uma promessa ele precisa fazer uma longa viagem até a Floresta das Almas Perdidas, sem imaginar que estará cumprindo uma profecia que pode quebrar uma antiga maldição.

Assim que Anaté - autora parceira do blog - entrou em contato comigo perguntado se eu gostaria de ler mais um dos seus livros, eu já fiquei curiosa pela trama e felizmente ela satisfez as minhas expectativas. De forma criativa a autora fala sobre as diferenças e como a intolerância, a falta de compreensão e de respeito por quem e diferente seja ele de sangue ou não, pode causar dor e exclusão.

Para que vocês entendam cada um dos cinco reinos tinham uma cor predominante como lei, marrom em Dracoon, azul em Azurium, violeta em Lilac, verde em Veridis e amarelo em Lux, tanto na pele, nas roupas, cabelos e olhos, caso um habitante não respeitasse a lei ele seria banido. Théo o nosso protagonista nasceu diferente e por conta disso precisou vencer alguns obstáculos além de passar por uma viagem de autoconhecimento para se aceitar do jeito que ele era e também para mostrar que o que mais importa e o que você tem no seu coração.

 "Em um dia branco, uma criança nascida com o sopro do dragão e a beleza da rosa traria na pele a força da liberdade."

Personagens como o monge Nestor, a bruxa Blanche, a gata Chlóe, a menina Margot e o espadachim vovôh, foram de grande ajuda durante a jornada vivida por Théo. Ainda falando sobre personagens, o príncipe Agostim se saiu muito bem como o grande vilão da história e seu final me surpreendeu, assim como me satisfez.

Agradeço novamente a Anaté, por mais essa oportunidade de ler mais um de seus livros. Com uma trama que ensina uma preciosa lição, além de ser cheia de aventuras e com personagens carismáticos, Théo e a Maldição das Cores é um livro que merece ser lido. Recomendo!!!



0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pela visita e pelo comentário:)