Relembrando: Cisne de Eleonor Hertzog

Olá gente tudo bem com vocês? Enquanto a resenha de Linhagens não sai, vamos relembrar Cisne, o primeiro livro da série Uma geração. Todas as decisões.


- E então continuariam a vida toda aqui, debaixo das nossas asas?
Henry sorriu de novo.
- Não seriam nossos filhos se achassem que debaixo de asas é lugar de viver a vida toda. Vai ser difícil e vai doer um bocadinho, mas eles vão descobrir que os laços entre eles são mais fortes do que qualquer distância. Vão sobreviver.” 

Li Cisne em 2013, e a resenha dele foi postada no mesmo ano, no dia seis de agosto.
A trama gira em torno da jovem Peggy e sua família adotiva os MelbourneHenry e Doris Melbourne são famosos biólogos marinhos que vivem em um veleiro solar de nome Cisne, com seus sete filhos: Teo, Ted, Tim, Tom, Pam, Lis e Bobby, além de Peggy, que tem entre dezessete e oito anos.

Eles vivem em uma Terra, que passou por grandes transformações, principalmente na área cientifica e que é governada por um órgão chamado Conselho Supremo. E todo jovem sonha em estudar na prestigiosa Escola Avançada de Champ – Bleux ,famosa por formar os melhores cientistas, como Henry e Doris, assim como o doutor Jamion Dornor, que descobriu Taralian, um planeta que esta exatamente na mesma órbita da terra, mas que sempre fica do outro lado do sol.

Taralian e a Terra não possuem um bom relacionamento já que os talarianos possuem uma tecnologia, muito mais avançada, enquanto os terráqueos são criativos. Como forma de por fim a eterna disputa entre os mundos fora criado o Intercâmbio Cientifico Cultural Interplanetário. Nesse ponto conhecemos quatro novos personagens, os cientistas talarianos Turon de Alter e Tian de Carasan, o arrogante jornalista talariano Giles de Malo e o simpático jornalista terráqueo Jean Rieve.

Entre muitas confusões, mistérios e revelações, Cisne e o ponto de partida dessa viagem que estar apenas começado.

Cisne possui um enredo instigante e inovador, porém confesso que precisei me acostumar, com os capítulos longos e com a grande quantidade de personagens, para que só assim a leitura fluísse mais rápido. Durante o desenrolar da trama vamos conhecendo um pouco sobre o passado de Peggy e também de sua família biológica, assim como dos Melbourne e percebemos que nada e aquilo que parece ser.

“Que os sonhos fossem grandes o bastante.
Que os corações fossem realmente generosos.
Que pensassem, enquanto fosse possível, que estavam somente vivendo suas vidas... Porque um dia descobriram que estavam vivendo a vida de todo aquele mundo!
Um dia, eles saberiam: A esta geração, todas as decisões”.

6 comentários :

  1. Oi Marla,
    Eu lembro da época que esse livro foi bastante divulgado na blogosfera. Que ótimo que a autora continua firme investindo na série. Sucesso e espero ler em breve.

    até mais,
    Nana - Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  2. Oi Marla!
    Esse livro parece ser muito legal, gostaria de ler a série!

    Beijos,
    Sora | Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  3. Oi Marla! Realmente capítulos longos e muitos personagens às vezes complicam, mas a história parece ser boa, com bons elementos.

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Olá, Marla.

    Parece ser um livro interessante. E leituras com capítulos extensos realmente cansam um pouco, quando precisamos de uma pausa e esperamos o fim do capitulo.

    Abraços.

    R.W.

    https://www.newsfallenbooks.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Marla, tudo bem?
    Nunca tinha ouvido falar nessa obra! =O
    Mas achei a trama bem interessante. Gostei da dica!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  6. Oie Marla =)

    Na época que o livro foi lançado, só se falava dele na blogosfera. Acho a premissa da obra bem interessante e espero ter a oportunidade de ler um dia ^^

    Beijos ;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e pelo comentário:)