O Primeiro Imortal de Rodrigo N. Alvarez


O que acontece com a alma quando o coração para de bater?
Quando morremos, será que a alma morre também?


Em 1987, na Península de Yamal, na Sibéria, uma descoberta pode mudar o futuro da humanidade. Durante uma caçada, o soviético Yuri encontra dentro de uma caverna de gelo quatro corpos de seres humanos, que ficaram congelados e preservados por 38 mil anos. Reconhecendo a oportunidade de ganhar uma fortuna, o ganancioso primo de Yuri vende um deles, clandestinamente, a membros de uma sociedade secreta que há décadas busca desvendar o enigma da imortalidade. Quando o impensável acontece e eles conseguem trazer o corpo de volta à vida, cientistas de várias partes do mundo entram em uma disputa sem limites pelo homem que venceu a morte. Só que, ao retomar a consciência, o primeiro imortal recupera também suas memórias, desejos e sonhos. E decide reaver o que é seu, fazendo com que o projeto saia totalmente de controle. Em sua estreia na ficção, o renomado autor Rodrigo N. Alvarez leva o leitor por uma viagem no tempo e por lugares tão diversos como Sibéria, Romênia, Estados Unidos, França, Alemanha e Brasil, passando por cavernas, geleiras, florestas, museus e centros de pesquisa de última geração. Com enorme habilidade, tece uma colcha narrativa mesclando arte, paleontologia, história e antropologia para contar a emocionante jornada de um sapiens ancestral em busca do sentido da própria existência.



Sobre o Autor: Em sua carreira como autor, RODRIGO N. ALVAREZ já vendeu mais de 800 mil livros, que foram publicados no Brasil, em Portugal e na América Latina. Viajou por mais de 50 países e morou nos Estados Unidos, na Europa e em Jerusalém. Durante suas viagens, muitas vezes por lugares pouco explorados, obteve inspiração e colheu informações para escrever O primeiro imortal. Nascido no Rio de Janeiro, atualmente mora com a família nos arredores da floresta de Fontainebleau, ao sul de Paris.



1 comentários :

  1. Oi, Marla!
    Esse parece ser um livro que me agradaria e muito. A sinopse me lembrou uma outra história que li e curti bastante
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita e pelo comentário:)